Sexo: ao invés de prazer, dor e angústia

Bom dia, meninas! Hoje vou falar sobre um assunto que incomoda tanto as mulheres que têm endometriose quanto os seus parceiros: a dispareunia – dor durante a relação sexual.

A dispareunia é um problema frequente entre as mulheres que convivem com a endometriose. Além do sintoma físico, geralmente, essa situação causa ainda conflitos emocionais e forte impacto na qualidade de vida e nos relacionamentos. As palavras-chave para lidar com a questão são: compreensão e boa comunicação entre os companheiros.

A intensidade da dor pode variar de leve incômodo até uma forte dor aguda. A maioria das mulheres experimentam a dor durante a penetração profunda. Algumas pacientes relatam dor durante e após o ato sexual. Abaixo, descrevo os dois comportamentos mais comuns diante dessa condição:
– Mulheres que evitam a relação sexual com medo de sentir dor e acabam afastando o parceiro;
– Mulheres que suportam a dor e preferem não contar ao parceiro que aquele momento ao invés de prazer causa agonia e aflição;

As reações não são positivas, pois provocam sofrimento, medo, tensão e traumas. O ideal é falar francamente com o marido/namorado e buscar tratamento.  

A dispareunia pode ser desencadeada por outras doenças, por exemplo, infecções genitais e doenças sexualmente transmissíveis.

É importante levar em consideração também os fatores psicológicos como, traumas infantis, educação muito rígida, falta de informação, etc.

Busque ajuda de um especialista. Converse com um ginecologista, faça exames e tenha uma vida sexual de qualidade.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários