Série Outubro Rosa – Parte I – Entendendo o Câncer de Mama

Em homenagem ao movimento “Outubro Rosa”, mês de prevenção ao Câncer de Mama, farei uma série de posts sobre esse assunto aqui no blog. Ao longo da série, vou falar sobre sinais e sintomas dessa doença, prevenção, fatores de risco e tratamento.
Para compreender melhor como esse tipo de câncer se forma, é preciso entender também o que é a mama e como essa estrutura é composta. Basicamente, esse órgão se divide da seguinte forma:

- Músculo;

- Estroma (tecido formado principalmente por gordura que envolve as glândulas e vasos sanguíneos e linfáticos);

- Lobos (glândulas responsáveis pela produção de leite);

- Ductos (canais que transportam o leite até os mamilos);

- Auréola e mamilo;

Quando ocorre o crescimento desordenado de células de um desses setores, com anormalidades genéticas, então forma-se um tumor maligno, o câncer de mama. A maior parte dos tumores malignos se desenvolve nos ductos, ou nos lobos.

É comum o desenvolvimento excessivo de algumas células. Se não há anomalias genéticas, essas células são consideradas tumores benignos ou cistos benignos, que podem ser removidos cirurgicamente, de acordo com a indicação médica.

Por possuir uma série de vasos sanguíneos e linfáticos, as chances de que o câncer se espalhe pela mama e pelo próprio sistema linfático são grandes. Por outro lado, se diagnosticado em fase inicial, o tratamento tem 95% de chances de sucesso.

Então, se você tem entre 35 e 40 anos, é imprescindível submeter-se a uma mamografia pelo menos uma vez por ano. O autoexame deve ser realizado sempre. Caso sinta algum carocinho, ou nódulo, procure um médico imediatamente! Cuide-se bem!
#OutubroRosa

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários