Por que e quando devemos conversar com o Ginecologista sobre a saúde de seus óvulos?


Já é sabido por todos nós que a reserva ovariana diminui com a idade, especialmente depois de 35 anos. Enquanto muitas mulheres, optavam por ter filhos mais tarde, a tecnologia de preservação de oócito melhorou e foi reconhecida como técnica não experimental em 2012 pela Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva. 

Muitas mulheres que vão regularmente ao Ginecologista, desconhecem o declínio da reserva ovariana com o avançar da idade. De acordo com os Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), 1 em cada 8 casais vão ter dificuldade em engravidar ou manter uma gravidez. Um estudo realizado em 2014, biopsiaram 15.000 embriões  e demostrou uma taxa de 75 a 100% de embriões com aneuploidia em mulheres com idade superior a 42 anos, em comparação com as mulheres entre 26 - 30 anos , onde 20%  a 27% dos embriões eram aneuplóides.

Em um esforço para entender melhor a população sexo feminino e os seus objetivos de planeamento familiar, os Centros de Fertilização de Illinois - EUA realizaram  uma pesquisa nacional on-line com 1.208 mulheres nulíparas e demonstrou-se:

51% das mulheres gostariam de ter filhos em algum dia; 
89% dos entrevistadas concordaram que a orientação sobre a fertilidade feminina deveria ser mencionada em consultas de rotina com o Ginecologista 
52% das mulheres acima de 35 anos declararam que teria feito escolhas diferentes se soubessem sobre o declínio da fertilidade relacionada com a idade.

Portanto, é imprescindível para as pacientes acima de 30 anos compartilharem a opção de preservação da fertilidade  (através da Criopreservação dos Oócitos) com seus Ginecologistas, além da necessidade destas pacientes analisarem e amadurecem a idéia de suas escolhas reprodutivas, mais cedo ou mais tarde.

As mulheres que realizam a preservação da fertilidade através do Criopreservação de oócito têm menor chance de aneuploidia, menor chance de abortamento e maior taxa de gravidez se utilizarem os seus óvulos congelados (com idade até 35 anos) do que realizar tratamento de FIV em idade avançada (após os 37 anos, por exemplo).

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

1 Comentários