Outubro Rosa: É preciso prevenir o câncer de mama

Olá, meninas! Hoje, eu começo uma série especial sobre o Outubro Rosa, mês de prevenção à neoplasia de mama.

O câncer de mama ocorre quando há o crescimento desordenado de células mamárias, com anormalidades. É comum o desenvolvimento excessivo de algumas células. Se não há anomalias genéticas, essas células são consideradas tumores benignos ou cistos benignos, que podem ser removidos cirurgicamente, de acordo com a indicação médica. A maior parte dos tumores malignos se desenvolve nos ductos, ou nos lobos.

Segundo o Instituto do Câncer (INCA), todos os anos ocorrem mais de 57.000 novos casos de câncer mamário, o que corresponde a 25% do total de casos previstos no país. Mulheres com mais de 35 anos, com histórico familiar prevalente e menarca (primeira menstruação) precoce, são as mais propensas a desenvolver o problema.

Não ter filhos ou ter engravidado tardiamente também são fatores relevantes para a manifestação da patologia. Médicos estimam que a maior parte dos casos da doença ocorre entre 40 e 45 anos. Por esse motivo, é indicado que a partir dessa idade a mulher realize exames preventivos como a mamografia e o autoexame.

Mastectomia preventiva

Pacientes que apresentem alguns desses fatores de risco, podem se submeter a um exame genético que identifica suas chances reais de adquirir, no futuro, o câncer de mama. Nesse caso, a paciente pode optar por realizar uma mastectomia preventiva - cirurgia de retirada das mamas antes que o tumor apareça, que reduz a probabilidade de câncer de mama para um índice inferior a 10%. 

Considerada por muitos médicos como um procedimento radical, a dupla mastectomia preventiva só é indicada em casos extremos. Cabe ao médico e à paciente decidirem juntos qual é a melhor estratégia, além de realizar a prevenção sempre. Fique atenta! Se você possui algum dos fatores de risco citados acima, procure ajuda médica imediatamente!


 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários