Os fatores de risco genéticos para a endometriose

Olá, meninas. Muitas de vocês me perguntam sobre os aspectos genéticos da endometriose. É sobre isso que vou falar no post de hoje.

Sabe-se que essa patologia é um transtorno multifatorial, ou seja, causada por efeitos individuais associados a alterações hormonais, imunológicas, ambientais e, em alguns casos, também por fatores genéticos.

Nos últimos anos, houve um aumento do estudo desses fatores. Pesquisas recentes apontam que pacientes que possuem parentes de primeiro grau portadoras da doença têm o risco aumentado em 7%. Já o artigo Genetic Risk Factors for Endometriosis, publicado no Journal Of Endometrial Pelvic Pain Disorders, mostrou que alguns exames de associação de genomas identificaram 11 alterações genéticas que aumentam o risco de desenvolvimento da doença.

Por esse motivo, é imprescindível que mulheres com algum dos 6 D’s da endometriose (Dismenorreia – cólica menstrual; Dispareunia – dor na relação; Dor Pélvica Crônica – dor todo dia; Disquezia – alteração intestinal; Disúria – alteração urinária e Dificuldade para engravidar) e que tenham parentes de primeiro grau portadoras da doença, procurem um ginecologista imediatamente. 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários