Entenda os diferentes tratamentos para infertilidade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) relatou que pelo menos 15% das mulheres no mundo sofrem de infertilidade. Já explicamos quais são as principais causas desse problema. 
A boa notícia é que existem várias opções para mulheres que possuem dificuldade de concepção. Algumas são mais simples, como o coito programado, a inseminação intrauterina e outras mais complexas, como a FIV. Nesse post, vamos falar de cada uma delas! 

- Coito programado
Esse é um tratamento indicado para mulheres com endometriose mínima e leve ou pacientes que possuam ciclos menstruais irregulares, por exemplo portadora de Síndrome de Ovário Policístico. Mas, o essencial é apresentar pelo menos uma tuba uterina funcionante. Nos primeiros dias de seu ciclo menstrual, a mulher é submetida à medicamentos que irão estimular a ovulação. O acompanhamento é realizado com US transvaginal, para verificar o desenvolvimento dos folículos (no máximo deverá ter 3 folículos maiores que 15mm), quando pelo menos um folículo atingir 20mm a mulher é submetida a uma injeção que simula a ovulação, após isso o casal deverá ter relações entre 24h e 36h desta medicação.

- Inseminação intrauterina 
Nesse caso, a paciente é submetida à estimulação da ovulação  controle de US transvaginal, assim como no tratamento anterior. A diferença é que, ao invés de tentar engravidar naturalmente, o sêmen é colhido via masturbação e é submetido a um preparo onde apenas os espermatozóides móveis e progressivos são selecionados.
Este sêmen preparado é injetado dentro do útero da mulher, através de uma pequena cânula (procedimento indolor) A concepção acontecerá naturalmente. 
É uma técnica indicada para casais que apresentam infertilidade sem causa aparente (quando o casal é considerado clinicamente apto a engravidar, mas não consegue) ou quando a paciente apresenta grau leve de endometriose. Assim como no coito programado, a paciente deverá apresentar pelo menos uma tuba funcionante.
Também pode ser uma boa alternativa quando o homem apresenta uma queda no número de espermatozóides. Ou alternativas para casais homoafetivos que necessitam de sêmen de doador.

- Fertilização In Vitro (FIV) 
É a técnica de fertilização mais complexa. A diferença desse tratamento em relação aos anteriores é que a fertilização acontece fora do corpo e o embrião é alojado dentro da mulher. Existem dois tipos de FIV, a Fertilização InVitro Clássica - em que os espermatozoides são colocados junto ao óvulo, e a fertilização (isto é, a entrada do espermatozóide no óvulo) se faz de maneira natural. E a ICSI (Injeção intracitoplasmática de espemermatozóide) em que um único espermatozóide selecionado (o mais móvel, com morfologia normal) é injetado no óvulo.
 Depois do processo descrito acima, os embriões são inseridos dentro do útero por um cateter guiado por ultrassonografia (procedimento indolor).
Essa técnica é indicada em pacientes com endometriose avançada, mulheres com as tubas obstruídas e em casos de infertilidade masculina. 
Se realizada em mulheres com até 35 anos, o tratamento alcança em torno de 55% de chances de sucesso.

 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários