Endometriose e infertilidade: entenda a relação da doença com a dificuldade para engravidar

Uma das principais causas da infertilidade é a endometriose. Estima-se que 47% das pacientes inférteis foram diagnosticadas com essa patologia. Além disso, estudos comprovam que a taxa de fecundidade em mulheres que apresentam a doença varia entre 2 e 10%. Entre os casais normais, esse número é cerca de 20%.

A endometriose pode afetar a fertilidade de uma mulher de várias formas. Em graus mais avançados, a doença pode causar, por exemplo, uma obstrução da tuba uterina que impede que o óvulo se dirija até o útero, onde a concepção acontece. Mulheres com esse tipo de complicação maior, tem mais tendência a desenvolver uma gravidez tubária. Estudos mostraram uma relação pouco consistente entre a infertilidade e os casos de endometriose leves e com poucos focos.  

Além disso, a patologia pode causar alterações hormonais que influenciam na ovulação, causam baixa qualidade dos óvulos (em casos de focos de endometriose no ovário) e até mesmo dificuldades na implantação do embrião devido à alterações do endométrio.

A boa notícia é que a infertilidade causada pela endometriose tem solução: desde tratamentos de menor complexidade (inseminação artificial ou coito programado) até um tratamento mais complexo, como a Fertilização In Vitro. Cabe ao ginecologista avaliar, junto com a paciente, o método mais eficaz.
Esse post faz parte da série do Mês Mundial da Infertilidade. Continue acompanhando!


 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários