Importância dos exames de rotina

Nosso corpo vai sofrendo algumas alterações, internas e externas, ao longo da vida. Conforme envelhecemos, ficamos mais vulneráveis às doenças que precisam ser tratadas para prevenir complicações futuras.

É essencial que a mulher se cuide e se proteja realizando exames periódicos, mesmo que não sinta nenhuma dor. O acompanhamento médico, principalmente ginecológico, é muito importante para monitorar a saúde feminina. Além de exames de sangue, é recomendado que a mulher realize exames como:

Ultrassom pélvico e de mama: o exame pélvico é capaz de diagnosticar patologias  no útero (mioma, pólipo, adenomiose, endometriose) , nos ovários (cisto, endometrioma) e nas tubas (hidrossalpinge). Já o exame de mamas consegue verificar a existência ou não de nódulos ou cistos nos seios.

Mamografia: detecta tumores malignos em fase inicial, assim, permitindo um tratamento menos agressivo e com boas chances de cura. A primeira mamografia é recomendada a partir dos 40 anos, mas quem possui histórico familiar de câncer de mama é interessante realizar o exame a partir dos 35 anos, ou antes caso seja necessário.

Papanicolau: trata-se de uma leve raspagem das células do colo do útero para identificar possíveis alterações (NIC, NIVA causados pelo vírus HPV). É recomendado realizar este exame assim que a mulher iniciar a vida sexual.

Exame ginecológico: é recomendado que este exame comece a ser feito a partir da primeira menstruação e do início da vida sexual, pois o toque vaginal e a visualização do colo uterino possibilitam a avaliação do colo, tamanho do útero e possíveis alterações nas tubas e nos ovários. Possíveis secreções vaginais e as mamas também são avaliadas neste exame.

Densiometria óssea: este exame avalia a densidade dos ossos, podendo assim detectar riscos para o desenvolvimento de osteoporose. Mulheres que possuem histórico de osteoporose devem realizar o exame no início da menopausa, e no intervalo de cinco anos.

Exames laboratoriais: trata-se de uma série de exames que diagnosticam qualquer distúrbio hormonal ou alteração nos exames de rotina (glicemia, colesterol,...).
 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários