Entenda a amenorreia

É normal a menstruação não ocorrer em três momentos da vida de uma mulher: antes da puberdade, durante a gestação e após a menopausa. Mulheres que não menstruam em um período de três meses, sem estar em uma dessas fases, podem sofrer de amenorreia. Meninas que não iniciaram o ciclo menstrual até os 15 anos, também.

A amenorreia é caracterizada pela ausência de menstruações no período em que elas deveriam ocorrer. O ciclo menstrual dura entre 25 a 35 dias, em média, e tende a ser mais desregulado nos primeiros dois anos de menstruação. Muitas mulheres já sofreram com alguns pequenos atrasos ou até mesmo mudanças constantes de ciclo, que devem ser discutidas com um ginecologista. Geralmente, a primeira suspeita de amenorreia em mulheres férteis e sexualmente ativas é a gravidez, mas caso essa possibilidade seja excluída, uma série de hábitos e até doenças podem ser a causa dessa amenorreia.

É importante saber que há dois tipos: a amenorreia primária e a secundária. A primeira acontece quando meninas de 15 ou 16 anos ainda não tiveram sua primeira menstruação. Já a segunda, é a ausência de menstruação por três ciclos ou mais em mulheres que possuíam ciclos normais.

Antidepressivos, antipsicóticos, medicamentos específicos para pressão arterial, anti-histamínicos, quimioterapia, pílulas e outros métodos anticoncepcionais (contraceptivos injetáveis, implantados ou DIU) estão entre os medicamentos e processos que podem causar a amenorreia.

Além disso, o excesso de atividade física, dietas muito restritivas, baixo peso, estresse e/ou ansiedade, obesidade, depressão, sono insuficiente e algumas doenças , como: síndrome dos ovários policísticos, distúrbios da tireoide, tumor na hipófise, menopausa precoce entre outros problemas com os órgãos sexuais, tais como: síndrome de Asherman, ausência de útero e anormalidade estrutural da vagina podem causar a disfunção também.

O principal sintoma da amenorreia é a ausência de períodos menstruais, mas dependendo da causa, outros indícios podem aparecer. Dentre eles, os mais comuns são: dor de cabeça, alterações na visão, queda de cabelo, acne, excesso de pelos faciais, dor pélvica e secreção láctea pelo mamilo.

A amenorreia possui tratamento, por isso é muito importante consultar um ginecologista, pois dependendo da causa o método de intervenção é diferente. Nem sempre essa disfunção pode ser prevenida, mas manter uma alimentação saudável e equilibrada, prestar atenção na quantidade e intensidade de exercícios físicos, combater a ansiedade e o estresse podem auxiliar na prevenção. 
 

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

0 Comentários