Complicações na gravidez em pacientes com endometriose

Recentemente, a Sociedade Americana de Medicina Reprodutiva publicou um artigo sobre as complicações de gravidez em pacientes com endometriose. Como sabemos, a doença é comum e afeta cerca de 10% das mulheres.
A pesquisa afirma que houve um aumento no diagnóstico de endometriose na gravidez, provavelmente, porque hoje em dia há uma maior consciência da desordem entre os médicos e os pacientes, melhoria nas técnicas de imagem e avanço tecnológico em vídeo-laparoscopia.

Segundo o artigo, o tratamento cirúrgico possui uma série de vantagens em relação às tecnologias de reprodução assistida, sem o tratamento da endometriose. É importante considerar os riscos da cirurgia, como: diminuição da reserva ovariana , dano potencial ao tecido ovariano, risco de ooforectomia e formação de aderências pélvicas. Mas mesmo com esses riscos, segundo este artigo, os especialistas sugerem que estes danos cirúrgicos acabam sendo pequenos e os benefícios do tratamento superam os riscos.

Sabemos que a endometriose não impede, necessariamente, a gravidez, mas ela pode trazer alguns riscos como o aborto espontâneo e gravidez ectópica. Após 24 semanas de gestação podem ocorrer hemorragias e parto prematuro. Como a endometriose é associada ao aumento da inflamação na pelve, mudanças estruturais e funcionais no útero podem ocorrer. Por isso, é de extrema importância o acompanhamento médico durante todo o processo.

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado.

1 Comentários